As Deusas E A Mulher

Psicoterapia Holística
A Psicoterapia profunda de C.G.Jung descobriu que há uma relação muito próxima entre os processos psicológicos do homem moderno e a imensa gama de conhecimento que nos foi deixada como herança pelos povos antigos e que podemos conhecer através da mitologia.

O mito é um estágio intermediário entre a cognição inconsciente e consciente, como uma ponte necessária e facilitadora. É como um “tradutor” dos Arquétipos – que formam o psiquismo humano – decodificando-os a partir das mais diversas mitologias do mundo. Pode-se estabelecer muitos paralelos entre os mitos e o que está acontecendo na psique e na vida de uma pessoa ou sociedade. Diferente de Freud que considerava o inconsciente apenas como repositório de conteúdos individuais reprimidos, Jung descobriu que há camadas na psique que nunca foram conscientes e nem se formaram de conteúdos pessoais reprimidos.

Essa dimensão do inconsciente, que Jung chamou de Inconsciente Coletivo, diz respeito a símbolos comuns a toda a humanidade, disponíveis para todos.

O inconsciente é a base do nosso psiquismo, formado pelos Arquétipos, que são imagens primordiais carregadas de energia que advém das experiências coletivas que reforçam, a todo o momento, essa carga energética, que fica à disposição da humanidade, para ser acessada, na forma de imagens primordiais, a cada necessidade adaptativa.

É a nossa matriz, fonte geradora de material para a consciência.

As imagens arquetípicas são o suporte energético para o funcionamento adequado da consciência.

Para que o ego seja revigorado sempre, precisa do contato constante com sua usina de força.

Deu-se o nome de arquétipos a esses padrões, valendo-se de uma expressão de Santo Agostinho: Arquétipo significa um “Typos” (impressão, merca-impressão), um agrupamento definido de caracteres arcaicos, que, em forma e significado, encerra motivos mitológicos, os quais surgem em forma pura nos contos de fadas, nos mitos, nas lendas e no folclore.

Jung, ao longo de sua vida, deixou muitos estudos a respeito dessa camada mais profunda do psiquismo humano, como a alquimia, os contos de fada, a gnose, as religiões comparadas e a mitologia.

Através do conceito de arquétipo e do inconsciente coletivo foi possível para a psicologia abrir caminho para a compreensão de rico material pertencente aos mitos e ajudar o homem moderno na compreensão de todas as dimensões de si.

No livro “As Deusas e a Mulher”, Jean Shinoda Bolen, que há anos estuda e trabalha com grupos de mulheres ao redor do mundo, nos apresenta 7 deusas, dividindo-as em 3 grupos, por semelhanças de forças arquetípicas que direcionam seus comportamentos e emoções:

As Deusas Virgens (Ártemis, Atenas e Héstia), as Deusas Vulneráveis (Hera, Deméter e Peséfone) e a Deusa Alquímica: Afrodite.

Na psique da mulher, há competição de energia entre os diferentes papéis de mãe, esposa, mulher, profissional.

Quem julga para resolver o conflito? Os homens? A sociedade? A Igreja? Qual parte de mim decide? O Ego? A Persona? O Self ?

A mulher contemporânea, perdida entre tantas demandas e papéis, pode se beneficiar muito do estudo mais aprofundado das manifestações arquetípicas contidas nos mitos das deusas, que podem ativar a sombra e trazer a luz para mostrar o caminho da individuação.

Sempre é possível identificar um arquétipo predominante na personalidade de cada mulher.

Mas, é importante ressaltar que mais de uma força arquetípica está sempre presente, pois, cada Deusa é a epresentação de uma virtude da Grande Deusa, figura mítica feminina.

Também é válido ressaltar que a cada fase da vida da mulher, uma ou outra força arquetípica pode se fazer mais presente.

Assim, a partir desse entendimento mais profundo de si e das forças inconscientes que podem estar motivando tal ou qual comportamento ou emoção, a mulher pode caminhar pela vida a partir de decisões conscientes que tornem essa disputa menos conflituosa e a vida seguirá mais leve e integrada em direção à totalidade do SELF.

Artigo extraído da Propositura de Palestra para o evento Holística 2015.

ANA LUIZA IUGHETTI FERES  Terapeuta Holística - CRT 42969


ANA LUIZA IUGHETTI FERES
Terapeuta Holística - CRT 42969

www.luizaferes.terapeutafloral.com.br
luizaferes@terapeutafloral.com.br

Atende com TERAPIA FLORAL e PSICOTERAPIA HOLISTICA

Destaques da Edição