Inteligência Emocional

Aconselhamento

Pensando Com O Coração - Arte Digital: Henrique Vieira Filho - Modelo: Rilda

O estudo das emoções sempre despertou interesse. Há  milênios filósofos e pesquisadores tentam compreender seus mecanismos. Na  Grécia antiga já era objeto da Filosofia. Dentre os filósofos gregos, Sócrates se  apresenta como o precursor da relação da pessoa com os outros e com o mundo.  Platão atribui a ele a máxima “conhece-te a ti mesmo” (348 A.C.). 
 
Porém, até hoje, questões intrigantes desafiam o conhecimento humano: 
 
1.  Por que algumas pessoas passam praticamente ilesas a situações  estressantes e outras nem tanto?  
2.  Como dominar as emoções, sobretudo as de caráter negativo, de  modo a viver em paz e ser feliz?  
 

Artigo extraído da Proposituta de Palestra para o evento Holística 2014

Foi visto que, uma emoção ao se instalar ativa o sistema  nervoso simpático e a pessoa perde o controle de si. Enquanto não voltar à situação  de normalidade, todas suas ações serão conduzidas de modo reflexo. 
 
Desta constatação deduz-se que o controle da emoção só  será possível antes do seu disparo. 
 
Portanto, a maneira de impedir o processamento  das emoções indesejadas é evitar esse disparo.
 
Para tanto, é necessária uma higienização da realidade  interior e o crescimento na capacidade de enfrentar os estímulos cotidianos, mais e  mais exigentes da vida moderna.
 
Crescer em resiliência, isto é: em solidez de ser. 
 
Pesquisa recente realizada na cidade de Sardenha na  Itália revelou que a causa provável da longevidade de seus moradores está no  sorriso,ouseja: no bom humor. 
 
Segundo Maria Chiara Fastame, da Universidade de  Cagliari: “uma importante lição que eles ensinam é que o fortalecimento da  autoimagem e da autoestima pode ser uma importante intervenção psicológica para  idosos”. 
 
Como síntese, recorremos a Gilberto Vitor: 
 
“A Inteligência  Emocional está relacionada a habilidades tais como motivar a si mesmo e persistir mediante frustrações; controlar impulsos, canalizando emoções para situações  apropriadas; praticar gratificação prorrogada; motivar pessoas, ajudando-as a  liberarem seus melhores talentos, e conseguir seu engajamento a objetivos de  interesses comuns”. 
 
Goleman complementa: “Inteligência Emocional é a  capacidade de ler os próprios sentimentos, controlar os impulsos, organizar o  raciocínio, ficar calmos e otimistas diante das provas com que nos defrontamos e,  sobretudo, escutar o outro”. 
 
Esta inteligência é adquirida e “pode desenvolver e  aumentar em qualquer tempo e qualquer idade.” (COOPER e SAWAF: 1997). 
 
om o auxílio da Neurociência está aberto um vasto  canteiro para atuação do Terapeuta Holístico. 
 
Foi visto que estímulos de ordem  física (acupuntura, toque, técnicas corporais...) podem ativar regiões do  cérebro com pouca atividade. 
 
Do mesmo modo, cores, luzes, aromas e novos cenários  podem quebrar a acomodação cerebral. 
 
As sensações de conforto, alegria e prazer  ativam a produçãode hormônios saudáveis, gerando paz e bem-estar. 
 
O canteiro mais extenso está no Coaching Holístico ou na  Psicoterapia Holística. 
 
Isto porque, o desenvolvimento da Inteligência Emocional só  será eficaz mediante acompanhamento especializado. 
 
Porém, fica o alerta: “Não podemos levar o outro, onde  ainda não fomos”.(André Rochais).
 
O desafio é este: crescer em ser inteligente de si.  Esse crescimento só ocorre praticando. 
 
É como nadar, só se aprende a nadar, nadando. 
 
 

Sidney Rosa Nascimento Junior

CRT 44269 - Terapeuta Holístico

sidney@crescimentopessoal.org

 

 

Destaques da Edição