O Complexo De Jonas

Psicanálise

Jonas e a Baleia  - Modelo: Nathara - Arte Digital: Henrique Vieira Filho

Segundo o filósofo e teólogo francês Jean-Yves Leloup, os personagens bíblicos são expressões de arquétipos do inconsciente. 
 
O estudo de seus temperamentos, comportamentos, anseios, dúvidas, convicções, jornadas, vitórias e derrotas constitui vasto campo de reflexão sobre os conteúdos da psique humana. 
 
Neste trabalho, o personagem bíblico Jonas e seus conflitos traduzem o emaranhado de emoções e complexos que submetem os destinos humanos, podendo, quando observados e analisados, conduzir o indivíduo à libertação e à auto-realização, seja por iniciativa própria, seja através da simbólica incubação no ventre do monstro.
 

 

 

(Trechos extraídos da Propositura de Palestra para o Holística 2014)  
 
Cada personagem bíblico é um arquétipo, uma imagem interna (LELOUP, 5). 
 
Esses personagens possuem cada qual a sua jornada ou epopeia, que se traduz em elementos simbólicos da jornada da psique em busca da Terra Prometida, sua meta idealística. 
 
Cada arquétipo bíblico encarna um estado de consciência, razão pela qual o estudo desses personagens concorre para a compreensão de nossa realidade interna e, até, para a solução de conflitos e complexos.
 
Considerando a assertiva de que todos herdaram imagens arquetípicas básicas ou ancestrais (JUNG, 3) não é improvável que tenhamos herdado também elementos dos mais diversos mitos que influenciaram a humanidade, como o mito do herói inspirado no personagem Hércules, que desdobra toda a sua força para realizar os “12 Trabalhos”. 
 
As narrativas simbólicas desses mitos guardam fortes conteúdos psicológicos, revelando o tipo psíquico da humanidade na época em que foram construídos. 
 
Não obstante, sugere-se que esse conteúdo tenha ultrapassado os séculos, apresentando-se como organizador da experiência humana, como que repetindo um padrão impresso no inconsciente coletivo.
 
Na jornada de compreensão daquilo que representa o Complexo de Jonas,
 
LELOUP (5) destaca que “o nome Jonas, ou Iona em hebreu, quer dizer a pomba. Uma pomba que tem as asas aparadas. 
 
Assim Jonas é o símbolo do homem que tem as asas do homem alado, como nos fala Platão. 
 
Do homem material, que tem nele uma dimensão espiritual, mas que renegou essa dimensão espiritual e que cortou as suas asas. 
 
Jonas é o homem que, em cada um de nós, deseja voar sem deixar de ter os seus pés na terra. 
 
É o homem, no espaço-tempo, que pode abrir-se à transcendência, mas que se fecha a esta transcendência e corta suas próprias asas. 
 
Talvez não seja ele mesmo que corte suas asas. Algumas vezes é a sociedade, algumas vezes é o meio em que ele vive”.
 
Ter as asas aparadas simbolicamente implica em impedir o voo, impedir a alma de alçar novas e renovadas experiências, ao ponto máximo dessas experiências que vistas de cima ganham novo colorido e significado para o crescimento individual e coletivo.
 
O personagem Jonas, na obra de LELOUP (5), apresenta uma característica peculiar: existe dentro dele o medo de ser diferente dos outros. 
 
Alçar voos maiores significa metaforicamente ampliar a visão sobre a vida, sobre si mesmo, sobre os relacionamentos humanos, sobre os seus valores e como aplicá-los de forma prática em nome do progresso pessoal e coletivo. 
 
Enfim, significa ser diferente dos outros. O medo de Jonas é o medo de ser diferente para melhor, o medo de crescer, o medo do sucesso, em última instância.
 
 
 
 
CARLOS JOSE DE MEDEIROS - CRT 46640
Terapeuta Holístico
Acesse o Site http://www.cjmedeiros.terapeutaholistico.com.br
Envie email para cjmedeiros@terapeutaholistico.com.br


Modalidades:
PSICOTERAPIA HOLISTICA
TERAPIA EM SINCRONICIDADE

 

 

Destaques da Edição