Ingenuidade E Preconceito na Terapia Holística

História e Fundamentos da Profissão
Ingenuidade Pin Up - Modelo: Andrea - Arte Digital: Henrique Vieira FilhoPara sermos catalizadores do caminho para o autoconhecimento de nossos Clientes, temos que trabalhar com inúmeras hipóteses ao mesmo tempo, atentos tanto à "luz", quanto à "sombra", não havendo espaço para ingenuidade, nem desatenção, pois temos que atuar como "detetives da alma".

Igualmente de estranhar que, uma área tão perseguida e mal compreendida quanto a nossa, ainda consiga ter seus próprios preconceitos internos.

 

Por obrigação profissional, temos que ser o oposto de ingênuos... Porém, o que encontramos na prática é que, muitas vezes, cegos pela aura de bondade e compaixão que cerca a Terapia Holística, tendemos a "esquecer" que nossa área de atuação é composta por seres humanos, com o melhor e o pior de nossa espécie, em convivência.

Quantos colegas investem, por exemplo, em cursos, acreditando que os mesmos sejam "reconhecidos pelo MEC", sem sequer verificarem junto aos sistemas de busca no Ministério da Educação...

Outros, que aderem a sistemas recém-inventados, seja de "novas" essências florais, sem se dar conta SE a empresa fabricante está regularmente constituída, SE realmente houve sequer tempo hábil para "testar" centenas de novas essências, em curtíssimo periodo... O mesmo podemos dizer de "novas" correntes de Iridologia, com uma infinidade de informações e análises, criadas em tempo recorde e colocadas no mercado, para consumo dos profissionais... E de "novas" técnicas, que se auto-divulgam como melhores que aquelas que já estão testadas e "aprovadas" por milhares de anos de prática e tradições.

Umas das maiores ingenuidades de que nossos colegas tem vitimados a si mesmos, é a de investirem em cursos preparatórios para "concursos públicos" onde prometem contratar via prefeituras, estatais e similares e, claro, os anos passam e nem sequer os tais "concursos" foram realizados...

De certo modo, o PRECONCEITO também é um tipo de "ingenuidade": a de que sabemos tudo e não temos mais nada a aprender.

Eu mesmo, sou exemplo disso: por anos, desdenhei a técnica que utiliza "esparadrapo trançado" em regiões doloridas e em pontos de Acupuntura. Não havia sequer estudado o assunto e já não gostava ! Eis que, quando experienciei, tive que admitir o quanto estava errado (ver Artigo: Uma Terapia Enrolada).

Da mesma forma, temos colegas que cultuam Terapia Tradicional Chinesa, mas, torcem o nariz para o I Ching... Psicanalistas Junguianos que fecham os olhos para as Terapias De Sincronicidade (Tarô, Astrologia, Runas, etc...)... Terapeutas Reichianos que desconhecem Shiatsu, Tui Na...

E vice-versa !

Esse padrão vai contra o princípio HOLÍSTICO, que implica em integração, interdisciplinaridade...

Ainda que não pratiquemos em nossos consultórios, certamente que quanto mais técnicas conhecermos, teremos melhores condições de nos adaptar a cada Cliente.

Felizmente, existe "TERAPIA" a sanar tanto ingenuidade, quanto preconceito: o CONHECIMENTO !

Consultem o SINTE - SINDICATO DOS TERAPEUTAS quanto ao grau de confiabilidade de certas informações, cursos, "novidades"; afinal, é o órgão máximo da NOSSA Profissão e certamente terá um Parecer e/ou Orientação oficial sobre o tema.

Ampliem seu leque de conhecimento: leiam a Revista Terapia Holística, estudem as monografias do Projeto Holopédia, participem do Holística (o congresso anual do SINTE) e certamente conquistarão  uma visão MULTIDISCIPLINAR e INTEGRADA do imenso leque de técnicas que compões o "universo" da Terapia Holística.

 

Henrique Vieira Filho

Henrique Vieira Filho - Terapeuta Holístico - CRT 21001, é autor de diversos livros da profissão, ministra aulas na CEATH - Comunidade de Estudos Avançados em Terapia Holística.

contato@sinte.com.br

(11) 3171-1913

 

 

Destaques da Edição